Saltar para o conteúdo

PAGAMENTO À COBRANÇA DISPONÍVEL

    Informações sobre garantias na venda de bens de consumo

    Bens abrangidos pela lei A Lei das Garantias aplica-se a bens móveis para consumo privado, ou seja, bens de consumo: desde electrodomésticos a veículos, mobiliário, objectos de todo o tipo, incluindo obras de arte. Pelo seu próprio conceito, os serviços e os bens imobiliários estão excluídos. A lei exclui as vendas entre particulares. Para bens de consumo novos a garantia será de dois anos, enquanto que para bens em segunda mão a garantia será de um ano. Durante os primeiros seis meses do período de garantia de um novo produto, assume-se que os danos vêm da fábrica e que o vendedor deve assumir todos os custos da reparação, incluindo peças, transporte e horas de trabalho. O período de garantia é suspenso enquanto o produto ou objecto estiver em reparação. Produto em bom estado A lei considera que um consumidor deve estar satisfeito com o produto adquirido se este preencher os seguintes requisitos: que o produto esteja em conformidade com a descrição dada pelo vendedor e que tenha as qualidades manifestadas através de uma demonstração ou modelo.  Deve também ser utilizado para o que está indicado no folheto de instruções, bem como nas indicações verbais que o vendedor possa ter dado ou num vídeo de demonstração. A publicidade, as indicações que aparecem num rótulo, ou uma utilização que pode ser deduzida das características do próprio produto, também servem como utilização normal. Mesmo que o consumidor tenha solicitado uma utilização especial e o vendedor lhe tenha assegurado que o bem adquirido lhe será oferecido, este deve ser o caso. Além disso, o produto adquirido deve ser de qualidade e desempenho adequados. Assim, uma panela de pressão deve cozinhar mais rapidamente do que uma chaleira tradicional. Aplicação da lei A lei é vinculativa para os vendedores de bens de consumo, por um lado, e para os consumidores como destinatários finais, por outro. Por outras palavras, os contratos entre particulares estão excluídos, uma vez que a lei apenas abrange a venda e a compra entre um vendedor profissional e um consumidor. Aplica-se sempre que um bem de consumo é adquirido, ou seja, qualquer objecto ou produto para consumo privado. Os bens adquiridos numa venda judicial (leilão de bens confiscados) estão excluídos. A distribuição de água ou gás não embalado para venda também não está sujeita a esta lei. Reclamações em caso de defeito do produto O vendedor é o principal responsável pelo produto. No entanto, o consumidor pode dirigir-se directamente ao fabricante ou ao importador, se a ida ao vendedor for um fardo. Por exemplo, se durante umas férias fora de casa tiver sido comprada uma câmara digital que não corresponda ao que foi oferecido na loja, é mais fácil para o consumidor ir ao fabricante ou importador do que à loja onde foi comprada. Se o produto não corresponder às características anunciadas, o consumidor tem a escolha entre reparação ou substituição, a menos que tal seja impossível ou desproporcionado. Se a reparação ou substituição não for possível ou for desproporcionada, o consumidor pode optar por uma redução adequada do preço ou pela rescisão do contrato, ou seja, o reembolso do preço. O consumidor não pode exigir a substituição no caso de bens em segunda mão ou de bens impossíveis de substituir. Por exemplo, a substituição não pode ser exigida se o bem já não for fabricado ou estiver fora de stock, se for adquirido um carro em segunda mão, nem, devido à impossibilidade envolvida, pode ser substituída uma obra de arte, uma antiguidade ou um desenho de vestuário exclusivo. A substituição é desproporcionada se for um pequeno defeito que seja fácil ou simples de reparar. A reparação é desproporcionada quando não é económica, ou seja, a reparação é mais cara do que o valor do bem.BE DROP LLC 12-04-2022 P. 2 . BE DROP LLC 530-B HARKLE ROAD STE 100 SANTA FE NEW MEXICO 87505 UNITED STATES Período de reclamação O consumidor deve comunicar a falha no prazo de dois meses após a sua detecção.Neste sentido, se o problema surgir dentro de seis meses após a compra do produto, o vendedor deve fazer valer a garantia, uma vez que nesse período de tempo se assume que o problema provém da fábrica. No entanto, se estes seis meses tiverem passado, cabe ao consumidor provar que a falha teve origem e que não foi causada pela má utilização do produto. A lei estabelece que durante os seis meses seguintes à entrega do bem reparado, o vendedor será responsável pelas falhas que motivaram a reparação, presumindo-se ser a mesma falha quando defeitos da mesma origem que os inicialmente reparados forem reproduzidos. Para poder tornar eficaz esta garantia de reparação, o consumidor deve manter a prova da reparação e do serviço técnico que, na altura, reparou o produto. Falha após reparação ou substituição A Lei inclui estas possibilidades: Se o consumidor optar por substituir um produto defeituoso por outro que seja o mesmo, pode pedir ao vendedor que o repare, desde que não seja desproporcionado, para reduzir o preço ou para reembolsar o dinheiro. Por outro lado, se um produto defeituoso for reparado, o consumidor pode exigir uma troca, uma redução do preço ou um reembolso total do dinheiro pago. Mas a lei não especifica nem o montante nem o tipo de redução de preço que o vendedor deve dar ao consumidor se esta for a opção escolhida. Assim, ambas as partes na venda são obrigadas a chegar a acordos mutuamente satisfatórios. Recusa de reparação, redução do preço ou devolução do dinheiro Se estivermos dentro dos primeiros seis meses, devemos exigir a reparação e solicitar um Formulário de Reclamação e insistir até ao ponto de ir a tribunal. Presume-se que a falha tenha existido. Mas se os primeiros seis meses já tiverem decorrido, é o contrário. Cabe ao consumidor provar que o produto foi comprado com a culpa. Em qualquer caso, o consumidor terá de negociar e se não concordar com o desconto oferecido pelo vendedor, poderá dirigir-se a um avaliador para determinar o preço do produto após a reparação e pedir uma redução de preço nesse sentido. Livro de instruções e má instalação Se um consumidor utiliza incorrectamente um produto porque o folheto de instruções está incorrecto, o consumidor está protegido pela lei da garantia e pode exigir a sua reparação ou substituição. Do mesmo modo, se a falha for causada por uma má instalação causada tanto pelas instruções erradas no manual como pelos técnicos enviados pelo vendedor, o vendedor também é responsável. O que é que o consumidor tem de pagar em caso de reparação ou encaminhamento para um serviço técnico? Nada. Durante o período em que a garantia é efectiva, o vendedor ou produtor deve suportar os custos de viagem, peças e tempo de reparação. Além disso, enquanto o produto permanece no centro de serviço, o período de garantia é suspenso. Por outras palavras, o relógio não está a contar. Por outro lado, para além de exigir a aplicação da garantia (reparação, troca, redução de preço ou reembolso), o consumidor pode exigir uma indemnização pelos danos ou prejuízos derivados da avaria e do tempo de reparação, por exemplo, se um utilizador adquirir um frigorífico e este se avariar no prazo de uma semana após a compra, para além de solicitar que a garantia seja aplicada, o utilizador pode exigir uma indemnização pelos alimentos estragados devido ao mau funcionamento do aparelho.Garantia comercial A garantia comercial é aquela dada pelo fabricante, distribuidor ou vendedor, que deve sempre exceder a oferecida pela lei, uma vez que esta é entendida como um mínimo exigido pelo consumidor. É também um instrumento de marketing para empresas. No entanto, esta garantia deve satisfazer certos requisitos, tais como deixar claro a que se aplica, o objecto ou produto coberto pela garantia e o nome e endereço da pessoa que oferece a garantia.

    CONTACTE-NOS

    Contacte-nos 24 horas por dia,
    7 dias por semana

    DEVOLUÇÕES FÁCEIS

    Além disso, em caso de defeito ou quebra, substituí-lo-emos GRATUITAMENTE.

    TRANSPORTE GRAUITO

    Receberá a sua encomenda em 24/48 horas de forma totalmente gratuita.